Permaneço entre aquilo que me excita e aquilo que me da prazer... Desconheço o que me completa

terça-feira, 29 de junho de 2010

Minha analise do texto do poeta


Não quero alguém que morra de amor por mim,
 Pois niguém o fará. E acho que nem deve fazer.
Não é que eu não mereça, mas simplesmente acho que não preciso.
Só preciso de alguém que me faça sorrir e esteja pronto a entender minhas lágrimas.
Um alguém que entenda o meu olhar quando eu não puder me valer das palavras.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo. Não se mede, tampouco se julga um sentimento.
Espero apenas que me ame e não se restrinja aos paradigmas, às frases prontas e articuladas.
“Te amo” é uma frase. Abraço é um gesto. Eu prefiro as combinações.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que eu gosto, gostem de mim… Mas exijo respeito.
Não espero fazer a falta que elas me fazem, mas espero, em algum momento, ser lembrado

Lembrado pelo o que sou e represento, não pelo o que possuo e ofereço.
Só quero que meu sentimento seja valorizado, ainda que não seja correspondido
Tudo bem se não me amarem, mas que valorizem o afeto que dedico sem nada cobrar
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém… e poder ter a absoluta certeza de que
esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Quero despertar da imaginação e encontrá-la quando abrir os olhos. Quero acreditar que ela esteve ali
o tempo todo, e que só me bastava abrir os olhos e enxergar…
Quero ter a certeza de que fiz o meu melhor e acreditar que se não foi dessa vez é porque há algo melhor
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou,
não pelo que tenho. Na verdade eu queria entender o que se tornou o valor.
Que esse alguém me veja como um ser humano completo, ainda que minhas falhas estejam explícitas
Que me veja como alguém que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona
Que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento… e não brinque com ele, embora
Ele seja como uma criança: destrambelhado, inocente, ora pacífico e ora agitado.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude
Para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo
Que esse alguém perceba que amar é fácil de olhos fechados
Mas que só é real quando o fazemos de olhos abertos.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer,
Quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe e que eu o sinto.
O sinto em cada manhã, a cada sorriso de esperança, em cada abraço de consolo e afeto.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia,
E se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Quero poder acreditar que a cada novo dia terei a chance de um novo recomeço sem perder a trilha que já percorri
Que errar faz parte do percurso e que o importante não é chegar, mas sim caminhar
E viver intensamente cada paisagem, cada parada, cada alegre retomada.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas…
Que a esperança nunca me pareça um “não” que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como “sim”.
Que eu saiba viver o prazer do “sim” e aprender com as lições que um “não” proporciona.
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa,
de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros…
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Queria poder acreditar nas palavras quando elas me fazem se sentir único…
Queria saber quando elas são só palavras e nada mais e queria não me magoar ao descobrir isso.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão…
que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas,
que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim…e que valeu a pena!
E que valeu a pena…

Um texto de (Mário Quintana)


(Mário Quintana)

Não quero alguém que morra de amor por mim...
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será inesquecível...
Só quero que meu sentimento seja valorizado.

Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...
E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.

Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento...
E não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.

Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe... Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos,
talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.

Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".

Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ela é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros...
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena!!!

terça-feira, 22 de junho de 2010

Desejo & Arrepios

Senti no olhar da menina seu desejo
Incrivel quando desenvolvemos a sensibilidade do olhar
Podemos descobrir ou notar desejos incontidos nas entre linhas
Não é uma ciencia exata mas, com o tempo
Vai se descobrindo e amadurecendo esse conceito.
Mas Voltando a linda menina percebi seu desejo ...
Ela queria roçar seu corpo no meu cavanhaque
Sentir meu beijo,
sentir... Eu acariciar, manso, cada ponto...
Transbordar em carícias todo esse desejo,
Lhe tocando lentamente, até perder os sentidos...
E ficar tonta dominada em meus braços...

Queria parar o tempo, curtir o momemto se sentir fugaz.
Nas mãos maliciosas, do bandidu ser inteira;
Entregar sua alma, compactuar momentos e instantes de devaneios.
Suavemente. Rolar na magia dessa viajem...

Eu olhava seu rosto, seu olhar, o brilho e o delírio,
Sussuros e arrepios a cada toque a cada movimento,
Pois é ... Era nossa orgia...
O extase um momento mágico que tão mansamente,vem chegando.
Poder ver no teu rosto, doce alegria... não tem preço

Ver e sentir as ondas de prazer,
Contraindo teus músculos, e dentes...
Saber melhor plantar depois colher,
Conhecer os teus rios e nascentes.

Já minhas mãos, sentinelas e recrutas,
Procurando saber onde se encontra;
Esse sentido, vertentes, poros, grutas...
Navegar em tua macia pele e corpo lisinho...

Teu respiro, aspirando acelerado quase te sufoca,
Como é maravilhoso decorar o mapa de tua pele...
Invadindo feito um caçador que já conhece o caminho ida.
E se perde propósito na volta.
Fingindo safadamente procurar, procurar, procurar...

Nas curvas dessa estrada, vou capotar...
Me acabar  só pra ter a menina a me cuidar...
Dengo é uma das artimanhas mais sutis,
Para receber carinho e estar proximo,
Só sei que nos teus braços quero saber que sou feliz...

Teus seios, mordiscar, bem lentamente,
Teu pescoço, libido se explodindo...
Nessas danças, bailar feito demente,
Sentir o perfume e a sedução presente...

Quero insensatez, quero tuas pernas,
Desvendar o misterioso, entrelaçando nossa alma
Sentir as carícias mais singelas;
No teu corpo, suave, naufragando...

Eclodir o fogo desse incêndio,
Conhecer nossos mares e marés.
Aprender bem mais dessa leitura.
Escrito vorazmente, mãos e pés...

Quero a ternura, fera felina e mais voraz...
Nos olhos revirando sem ter nexo...
Conceber sonhos lúbricos, audaz...
Desenhar as mil formas do teu corpo.

Minha língua feroz e delicada,
Vagando pelos vales e montanhas...
Sentir a tua boca, minha amada,
Hastear tais bandeiras nessas fronhas...

E depois, descansar o meu cansaço,
De guerreiro bandidu.
Que combateu o bom combate...
Dormir tão calmamente no teu braço,...
Na magia de teu olhar.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Sessenta e nove

Sessenta e nove... um número... um preço... um ano... uma idade... uma vontade...(rsrrss)
Sessenta e nove... uma forma ...um desenho.. um movimento de linhas curvas... um apelo...
Sessenta e nove... pode ser uma fantasia sexual...
Sessenta e nove... você... eu... o prazer...
Sessenta e nove vezes podemos fazer 69 ... e nunca será igual...
Sessenta e nove horas de sabor e descobertas...
Sessenta e nove, o nosso... é delírio... é feito de gotas... chuva... línguas... narizes... cheiros... sabores... amor...
Sessenta e nove ... é nossa viagem a sedução que nascem em nossa alma...
Sessenta e nove... as vezes começo... as vezes durante... as vezes fim... sempre entrega...
Sessenta e nove pudores e mito que derrubei...

Me lembro a primeira vez... Com vergonha... Fechado em medos... receios... conceitos... preconceitos... em pudor...
Mas sedutoramente deixei fluir tomei os lábios da menina... invadi sua boca... percorri seu percoço, passando seios...
Lentamente descendo a caminho de seu umbigo... ali se deteve... lambendo... introduzindo minha língua quente...

Gostei e me ofereci...
Eu desenhava seu ventre com a língua... as mãos brincando em seus mamilos... me fez instinto faminto...
Mordisquei seus pêlos... puxei-os suavemente com os dentes...
minhas mãos agora apertavam seu traseiro... levantavam-à para facilitar meus beijos em seus grandes lábios...
A menina gemendo dizia delírios... dizia pare... venha me penetra , meu amor...

Minha cabeça girava... em mim surgia a vontade de pesquisar mais e mais seu corpo todo e eu lhe tocava as pernas, ensandecido de desejo de ser lambido... chupado... saboreado também com amor...
Percebi que ela delirava... era tão devassa nessa vontade... este despudor...
A menina quis gritar sua vontade...
Mas não houve necessidade...
Eu já era mestre na arte de fazer amor...
Girou meu corpo amado...
Ofereci meu falo adorado...
Fêmea ...apenas fêmea... só instinto... Felina se tornou...

- Jesuis!!!! Que gosto... poder saber seu gosto... engolir seu sabor...(disse a menina)

Com delicadesa brincou com o instrumento rijo, de textura escura e macia, fina pele em sua borda... sensível... forte... na justa medida da sua fome de comer amor...
Dar e receber....
Minha língua te invadia... sua boca o engolia... Entre delirios e prazer desvendavámos o amor...
Sede saciada... desejo crescente... loucura presente... fizemos delirios de amor...

Sessenta e nove é linha curva que em círculo aprisiona e liberta nosso amor...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

ME DEIXA

Me deixa....
Cheguar juntinho
com minhas malícias
Me fale com o teu olhar
Me aqueça com tua mão
Deixe - me ouvir
Teus desejos
Tuas querências
Nosso tesão
Nossas íntimas fantasias

É no silêncio que te fogem as palavras
É nas palavras  que a malícia de meus poemas nos excitam
Desejo esse momento
Nem que sejam poucos
Mas que sejam inesqueciveis...
 
"Que a brisa suave da noite ti leve... sussurros de carinho ao pé de seu ouvido"

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Taças de vinho

O primeiro Vinho nos fez desrespeitar regras.
Talvez por isso mesmo o sabor e a emoção tenham sido tão intensos! Aquele gosto adocicado em sua boca .
Uma troca de olhar a envolver o seu corpo.
Era um calor vibrante aquele que sentimos, como alfinetadas e agulhadas dentro de nós.  
Seus olhos assustados me indagavam a sensação experimentada, enquanto os meus tentavam, suavemente,não demonstrar
o sentimento
de arrepio tão intenso. 
Depois desse vinho, da taça não partilhada, mas da emoção compartilhada, 
Que sabe um dia se consome. Nenhum com sabor tão especial como aquele, o primeiro, beijo que experimentamos, a alguns dias  atrás. Como testemunhas?  
Apenas as flores que teimaram em espiar 
Nossos abraços e afagos
Desejos contido
Quardados para a melhor hora
Que venham otras melhores horas

Culpado ou Pecado



Fico entre ações involuntárias
Despertando toda sedução e libido
Perdido em pensamentos pecaminosos
Exploro!

Exploro o gostar de degustar
Provar!
Peco a cada segundo
A cada palavra, em cada verso

A cada hora
Peco por "Gula"
Por querer em todo tempo
O doce sabor
Manjar dos  Deuses, Maná!

Alimento de desejo proibido.
Distante do paraíso celestial
Atordoado pelo prazer carnal.
 
O toque
Leve dedilhar
Brincar!

Contrações inesperadas
Reações mais que desejadas
Meu corpo peca, mas quero!
 
Como quero o desfrute
De desfrutar deste pecado
De sonhar, viajar
Tocar e explorar
 
Pele na pele
Leve morder, entre lábios
Em dose dupla  pecar

Um instante transbordar
Em um cálice de luxuria e avareza
Em um profundo gozar com a alma em chamas
 
Ardendo
Profano e insano!
Insanamente culpado por te tocar.




quarta-feira, 16 de junho de 2010

AMADO

Usei esse post, e depois podem seguir através dos macadores esse mais novo tópico
Vou me usurpar, ou melhor dizendo tomar de assalto, algumas musicas que são verdadeiras
e genuinas poesias ou mesmo conto escolhi a dedo começar por essa diva e incone da atual safra de novos cantores e compositores. VANESSA DA MATA

- É alguém é capaz de explicar ? 
Como se pode ser gostar de alguém
E esse tal alguém não ser seu ...
- (mesmo que niguem é de ninguem.... sempre temos esse sentimento de propriedade que já vem da nossa criação nessa sociedade)
Fico desejando nós gastando o mar, (quem nunca se imaginou ao lado da pessoa querida curtindo esse momento?)
Pôr-do-sol, postal, mais ninguém (Tirar retrato pra recordar esse momento que podem ser simples para quem tem sensibilidade)
Peço tanto a Deus, Para lhe esquecer.. Mas só de pedir me lembro
- Tá ai uma dicifil equação.. é uma conta que nao fecha entao é melhor ficar e lembrar e pedir sua presença o mais breve possivel aqui perto de mim
Minha linda flor, Meu jasmim será (ou poderia também poderia ser meu todo jardim)
Meus melhores beijos serão seus 
(Quando gostamos sempre reservamos o melhor... o melhor sorriso o melhor carinho e por ai vai)...

- sinto até arrepio... quando penso...
Sinto que você é ligado a mim
Sempre que estou indo, volto atrás ( Quantas vezes já pensamos NÃO... e dizemos SIM...)
Estou entregue a ponto de estar sempre só
Esperando um sim ou nunca mais
- (Acho... Não !!!! Tenho certeza... É sina de quem pensa de mais e agi de menos)
É tanta graça lá fora passa, O tempo sem você
Mas pode sim, Ser sim amado e tudo acontecer
(O tempo realmente tem dois tempos... 1 quando fazemos ou  estamos com quem gostamos..
E o ourto quando estamos com saudades ou sozinho pensando....)

Sinto absoluto o dom de existir, Não há solidão, nem pena
Nessa doação, milagres do amor, Sinto uma extensão divina
(É  eu prefiro acreditar em pensamentos positivos encadeiam  e resultam em ações positivas, milagres ... se exitem ou não é um debate que nao tenho dominio)
É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer (é verdade... tudo acontecer... principalmente quando deixamos por conta do destino)
Quero dançar com você
Dançar com você
Quero dançar com você
Dançar com você
( Não sou de dançar não... mas com você abro até uma exceção)

Menino Travesso



Eu com meus pensamentos
resolvi nesse poema me vestir de menino travesso.
Não vou bater na tua porta, não...
Vou pular tua janela.
E não adianta trancá-la,
eu arrombo...
Se estiveres dormindo não faz mal não....
Eu vou chegar de mansinho,
Sem fazer alarde,
para  não te assustares.
Eu chegarei perto de ti,
Apenas sentindo teu perfume
De loba, de menina, de fêmea
E eu, como um lobo sedento, te acho,
Encho tua boca com minha língua...
Sentirás a pressão de meu corpo sobre o teu,
Te renderás sem nenhuma resistência...


Eu sei...
Deixar- te-ei nua para sentires meu corpo nu
Meus sentidos estarão todos atentos
Para te sentir...
O ritmo do teu corpo
em sintonia com o meu corpo.
Uma só voz, um só corpo, em um só desejo...
Eu te desejo, tu me desejas;
Eu te pertenço, tu me pertences;
Podemos ser donos um do outro,
Podemos ser donos da madrugada,
Podemos ser duas estrelas com o mesmo brilho...
Pode ser eu e você e nada mais.
Neste momento o tempo há de parar,
As ondas do mar se acalmarão,
O silêncio se calará diante de nosso fogo...
E assistirão, intrépidos, ao nosso show...
Não temos pressa.
O amor se transforma em loucura
E, loucos que somos,
Vivemos este momento único...
A nossa loucura não termina
Continuamos nossa viagem...
Meu corpo pede o teu
que, faminto, se entrega..
Nossos corpos se falam no contato,
Nossa bocas, sedentas,
se perdem uma na outra;
Nossas mãos se perdem na vastidão
de nossos corpos;
Nosso desejo é que esta eternidade
não termine,
Que nossa fome nunca seja saciada,
Que nosso fogo jamais seja extinto!
Escuto teu choro baixinho,
Pedindo que eu a atravesse a madrugada a sua procura...
Meu desejo é estar com você
E um cafuné lhe fazer!
Minha língua, inquieta,
procura teus cantos mais íntimos
E se perde no caminho,
onde a loucura se torna dona de nós...
Não haverá jamais um momento como este!
Te sinto como jamais senti...
Me sinto um menino travesso...



Vem Menina








Vem Mansinha... 


Chega devagar e invade meus sentidos...
Deixa que meu corpo deseje o seu
que minha boca explore a sua
que a ponta dos meus dedos te conheça inteira...
Sente o compasso do meu coraçao
E a suavidade da minh'alma
as loucuras poeticas dos meus sentidos...
Deixa que a surpresa seja o compasso do nosso delirio...
A volupia o comandante das nossas rotas...
a saudade a cama do nosso carinho...
Vem bem devagar... 
Chega suave como a luz tenue da manha...
Deixa eu ser o lençol que te acaricia...
O cobertor que cobre teu cansaço
O deleite suave que te acarinha
e te faz sonhar...
Sentir apenas seu perfume favorito
para me embriagar no desejo e te fazer feliz...
Deixa que meus poemas te enlacem
e te satisfaçam...
Deixa que minhas escritas sejam o teu alimento
e que o vinho prazeiroso de sua vida
E pedir para que as brisas te traga pra perto de mim...
Seja meu sonho e minha realidade mais bonita, 
eterna o sufiente para que seja inesquecivel e doce...
Seja apenas a menina que se rende
com a delicadeza e a suavidade...
Deixa que eu te cubra com meus beijos
te abrace e te enlace num infinito
laço de paixao e sedução....
Deixa eu sentir teu corpo
teu perfume
teus desejos escondidos
e te faça explodir suavemente
como uma taça repleta de vida...


terça-feira, 15 de junho de 2010

Saudades

Cada dia é um dia né... 
Retomando a minhas inspirações de volta após alguns dias... 
Só para me situar no tempo hoje o Brasil joga contra a Coreia.
A caminho de meu trabalho é possivel notar o clima de alegria e festividade
que toma  conta das pessoas clima semelhante ao final do ano...
"Que Bom!!!! - não vou entrar na questão do mérito. 
O importante é deixar a felicidade invadir o coração"...
 
 
Puxa ... 
Já...
Sinto-lhe a falta, do seu sutil timbre,
percorrendo meu ouvido
Seu cabelos perfumado
Invadindo meu nariz
sem pedir licença.
E, também nem precisa...
Né...
Porque tudo, que nasce puro,
tem livre critério,
na espontaneidade
com que derruba,
quaisquer barreiras
E acima de tudo,
interpretadas,
por aquelas pessoas timidas,
que, não entendem,
Ou se fazem de desentendidas 
para não capitar as palavras
deixadas no ar...
(rsrsrsr) 
Mas fico feliz
Porque
Toda essa magia 
Se expessam em alegria
Compartilhando, seu líndo sorriso.        
E neste meu desassossego, sozinho,
num entardecer inspirado por momentos 
especiais,
a saudade torna-se maior,
porque tu não estás,
 e toda a lembrança
vai invadindo meus pensamentos
que teima em persistir,
até em parte de meus versos,
que te cantam,
ainda que ao longe,
Poemas para imaginar
numa tentativa,
não sei se vã,
de me manter mais proximo..
Sei lá?...
 

sexta-feira, 11 de junho de 2010

SOLITÁRIA

O corpo daquela meina mulher busca perder-se
Nos braços daquele moreno simpático atraente
A  menina e sua timides sentia um leve friozinho na barriga
Seu ventre se contrai e empurra  desejo e sua volupia
Sua boca macia como pessêgos, estava sedenta por beijos
Sussurra o nome do poeta baixinho usando todo. Seu... 

Poder de sedução
Sua língua fruto do desejo alisa seus lábios reslusentes

Posso sentir o seu olhar devasso. Sua respiração é ofegante
Suas mãos se contornam, se tocam
Em sua imaginação é como se fossem as do moreno
Seus dedos atingem sua intimidade.
E se lambuzam com sua seica
A menina leva a mão até a boca
Dengosa, charmosa, sabia sonhar.
É como se trouxesse tua saliva, pra misturar-se à dele

Continuou buscando o seu prazer sozinha
Com o moreno em sua imaginação
Um arrepio percorreu toda sua espinha
Incrível tamanha grandeza dessa sedução.

A menina chamou teu nome
Relaxou seu corpo abriu os olhos... Procurando por ele...
Voltou a dormir com o rosto repleto de lágrimas.
Pois a  solidão se fez presente...
Infelismente

quinta-feira, 10 de junho de 2010

RITUAL

É outono... Quase inverno... Som baixo meia-luz duas taças de vinho suave... tão suave quanto tua pele um beijo na sua boca! mãos que passeiam pelo seu corpo um abraço ardente os corpos em brasa suas mãos que me excitam tudo é instinto foge à razão a linguagem é a dos corpos que se entendem num mesmo compasso... Dançam... 
E quando abandonamos o controle, dois gritos! Únicos... Um concretizar ritualístico do prazer, marcas para o tempo eu e voce. 

Chá da Tarde

Nos encontramos no mesmo parque.
O cenário imaginario perfeito Nosso banco estava lá. Nosso cantinho especial, sombreado por uma enorme e velha arvore. Ela linda e deslumbrante, como sempre. Um sorriso mais brilhante que o ouro e mais radiante que os raios de sol. Seus olhos me enfeitiçaram mais ainda com todo seu poder de sedução amorosa. Seu geitinho de timida e meiga sempre exalando as sete cores do arco-íris.

Aproveitamos por algum tempo as belezas que aquele clima nos proporcionava. A sombra das arvores, a suave brisa vinda do ar, que maravilha. Nossos corpos se abraçaram, parecendo tornarem-se apenas um. Nos beijamos freneticamente, como se não nos víssemos há séculos.
Havia um desejo ainda maior em nós. Confidenciamos um ao outro e saímos para realiza-lo. Caminhamos apreciando a vista da natureza que nos confidenciava. Partimos felizes para aquele que seria o nosso ninho de amor. Aquele espaço que testemunharia a nossa entrega apaixonada e inevitável. Chegamos enfim. Escolhemos o ambiente que seria o nosso cantinho aconchegante e adentramos felizes.

Na entrada uma simples mas romântica mesa para um delicioso chá a dois. Seguindo pelo clima, apreciamos a vista da suíte. Ao fim da garagem
, nosso tão esperado quarto, com seus jogos de espelhos e luzes, uma enorme e aconchegante cama e tudo mais a que tivéssemos direito.

Minha menina, sempre sorridente,e nesse momento muito mais, pediu-me para aguardar. ia tomar uma relaxante ducha e colocar seu roupão para ficar mais à vontade e nosso cantinho. Enquanto isso, fiquei a apreciar aquele ambiente divinal. Minha vida logo saiu de seu banho, envolta de um roupão branco. Fui também relaxar o corpo numa ducha quentinha. Igualmente, sai envolto em um alvo roupão.

Ao retornar ou quarto, encontrei minha menina de ouro pousada, como se fosse uma sereia deitada na areia do mar, aguardando seu amado para se entregar. Deitei-me a seu lado. Passei a beija-la e a receber seus carinhos. Suas mãos passeando em meu corpo eram como terapia relaxante,a causar delírios de prazer em cada toque. Passei a deslizar também as minhas pelo seu corpo, sentindo toda a suavidade e maciez de sua pele.
 
Passei a despir seu roupão lentamente, apreciando com desejo cada milímetro de seu corpo, acariciando-a e tocando cada parte de seu corpo que ia se desvendando. Deslizei meus dedos ate que encontrei sua intimidade, quente e latejante, já sedenta de todo o amor e vontade. Ao tocar essa delicada fonte de prazer, senti a súplica de seu pescoço a também ser tocado. Beijei-o e deslizei minha língua por todo ele. Enquanto ouvia seus gemidos agradecidos.

Num movimento dominador, minha musa pousou-se então sobre mim. Vestida apenas de seu lingerie branco, passou a brincar com meu membro. Deslizando sobre ele, já bem rijo e em êxtase de vontade de senti-la pele a pele e mergulhar em seu macio e perfumado orifício. Passamos a nos deliciar em nosso sexo, ainda oral, descobrindo os sabores um do outro.

No seguimento do nosso prazer, minha princesinha passou a cavalgar sobre mim, num movimento enlouquecedor, que arrancava de mim longos gemidos de prazer. Virei-a e passei a penetra-la de frente. Depois numa clássica posição  com sua cabecinha encostada no colchão e num ângulo de quase 45 grau passei a sentir seu néctar e novamente penetra-la. Seus gemidos não se continham. Nesse momento, depois de demorados e incasáveis minutos de entrega total, gozamos juntos.

Mas não paramos por ai. Ouvindo uma suave musica, passamos a brincar novamente com nossos corpos. Minha paixão passou a executar movimentos dançantes, ora com meu corpo fora, ora dentro dela. Isso simplesmente me enlouquecia e me deixava ainda mais excitado, pronto para um novo ato de amor e gozo.
Depois dessa dança maravilhosa, fomos aproveitar um pouco da hidro. Esperamos que a mesma fosse completa pela água, que decidimos ser apenas morninha. Primeiramente adentrei eu apenas. Minha menina  ficou na borda, molhando me as partes do corpo que ficaram fora d’água e fazendo suas caricias em mim. Depois, sai e ela entrou, ficando deitada de bruços. Isso apenas foi mais um convite para mais uma transa maravilhosa. Adentrei novamente, posicionando-se por sobre ela, voltando a ter-la. Posteriormente virou-se de frente e os movimentos voltaram a se repetir. Novamente saciados de amor, saímos então da hidro, pois um maravilhoso chá nos aguardava na pequenina sala.

Na verdade, o que chamamos de chá, era um delicioso suco de laranja, envolto de maravilhosos quitutes e guloseimas, dispostos numa pequenina mesa. Sentei-me de frente à minha princesinha que, com seus gestos delicados e carinhosos, passou-me a servir de tudo o que se compunha aquele singelo mas delicioso lanche. Achei engraçado a principio, pois deveria eu ser o seu servidor, como mandam as regras de cavalheirismo. Mas seu romantismo superou a isso. Deveria ter sido também eu quem posicionaria sua cadeira para sentar-se, mas estava tão maravilhado e feliz com tudo o que acontecera ate então, que isso ficou alheio. Enfim, saboreamos tudo, olhos vidrados um no outro, e sorrisos estampados de lado a lado, brindados com trocas de caricias e palavras amorosas.
 
Fizemos nossa pequenina refeição, sobrava-nos apenas mais uns trinta minutos de prazer. Retornamos ao nosso ninho e passamos a aproveitar aqueles poucos minutos que ainda nos restavam. Novamente caricias, novamente palavras românticas e novamente corpos entrelaçados um ao outro eu acariciava seus cabelos entre trocas de olhares ali ficamos. Extasiados e agradecidos por tudo que nos foi proporcionado naquela inesquecível tarde, nos vestimos e saímos, trocando juras de novas tardes e mesmo outros momentos de amor e prazer como aquela que nos proporcionamos.
 
Cada momento de ternura, magia e amor por nós sentidos naquela tarde, serviu-nos para que nós nos descobríssemos mais, um ao outro,  e confirmássemos o que já não podemos mais esconder: o quanto nós tinha interesse um pelo outro e o quanto é gratificante tornarmos parte um ao mundo do outro. Incrivelmente descobrimos que nos completamos, tanto na vida lá fora, quanto entre quatro paredes. De minha parte, posso afirmar, sem medo algum de ser feliz, que descobri uma menina maravilhosa. Uma menina mulher especial que com sua timides escondia toda sua magia de sedução. Seu rosto meigo e angelical, sua pele alva e macia, seu jeito marrudinha ora delicada e atenciosa, sua voz calma e macia, ora estridente com quem merece, seus olhos pequeninos e sorridentes, seus macios e sedosos cabelos, o seu coração bondoso...mil qualidades que só um poeta mesmo pode enxergar.
 
 
"Cada ser é um ser...
E não tenho dúvidas...
Que nada disso vou encontrar reunido num outro alguem..."

Obrigado pela maravilhosa inspiração ou vivencia né... ?
Adoro essa subjetividade... 

terça-feira, 8 de junho de 2010

Rumo a eternidade

Rumo à eternidade ela vem com este seu jeitinho de menina
Toma lugar entre minhas flores e torna-se a mais linda delas,
aos poucos penetra em meu mundo e vai pouco a pouco
se transformando na munher...
Rasga seus pudores, joga fora suas dúvidas,
transforma meus dias e eu  lhe farei entre os lençóis
sentir-se ao lado de um pretinho poeta

Vem...
Adentro a sua alma, lhe fazendo sentir  tomada por esta paixão
que lhe queima, da forças jogam-lhe frente ao mundo
Suas noites jamais serão tenebrosas e sim lindas  noites de sonhos
As suas manhãs têrão a cor do arco-íris de nossa paixao e a cada entardecer,
o aconchego de meu abraço. E o calor de  meus beijos...
Os dias seguirao e juntos quem sabe construímos nossos castelos,
por vezes jogamos fora as chaves e lá dentro quietos,
entregamo-nos a esta paixao sem limites
sem medos, dotados da força da vida, do colorido vindos dos nossos corações!
Seguimos prontos a enfrentar a própria eternidade
na certeza que nada terá forças de apagar esse nosso momento!

Voa Comigo


Vem minha menina

voa comigo...
Nesse sonho encantado
Vamos ao mundo da nossa fantasia

Voa comigo... 
Sacia minha vontade
de querer-te ao meu lado

Voa comigo...
Vamos romper o véu da noite
Dormir agarradinhos
acordar bem juntinhos

Voa comigo...
Vamos ouvir a música dos anjos
tocando só para nós
uma sinfonia linda     
enternecidos com nossos carinhos
Vem meu menino
voa comigo...
nesses breves momentos de felicidade
Acompanhe-me
por instantes
Toma o beijo sagrado
que em tua boca deixo depositado
Antes de acordarmos  
desse momento mágico.
Vem...
Voa comigo.

Subimos as Estrelas

Subimos nas estrelas de novo,
Sentimos o corpo se multifacetar
Ao som de um linda musica,
Com todos os tons do infinito,
Com todo o calor das profundezas de nossos mais íntimos sentimentos,
Sentimos a pele esticar, e esticar...
A falta de ar cada vez mais presente,
O meu e o teu riso,
A nossa caricia sagrada,
Esquecendo as dores do mundo que ficou de fora,
Sem pressa, sem medo, sem temer a vergonha,
Ah! Posso ouvir o teu coração batendo forte,
E sentir o tempero do teu suor em minhas mãos,
O calor do teu corpo envolto ao meu,
A luta feroz de nossas línguas, 
A minha bocona voraz engolindo tua boquinha,
Minha mão penetrante em suas pernas e coxas,
Sim, também sou voraz,
Nossos corpos se dividindo, e se fundindo novamente,
Nessa simbiose de carinhos e beijos,
Meu tesão crescente e eloquente,
Te fazendo subir de novo para as estrelas,
E você, minha passasseira nessa viagem maravilhosa,
Se deleita com o meu prazer, todo o seu prazer,
Prazer de ser tocada, beijada, amada,
Prazer de conversar, de falar comigo,
De trocar caricias, repartir a água e o vinho,
De tomar a minha bala na boca,
De sentir um cafuné logo de manhã,
Tremenda sua satisfação sempre colada em meu corpo,
Suplicando que eu pare, pois você quer o ar que não encontra no ar,
Vibrando ao sentir o meu cheiro, mesmo depois de horas e distante,
Sentindo na solidão do seu quarto a maciez da minha pele,
E a força do seu pensamento me querendo por perto,
Mais perto, bem perto, todos os dias,
Amando cada momento dividido,
As poucas palavras escutadas,
E o frescor do novo encontro lá pelas tantas
Seu beijo de boa-noite, de vai com cuidado,
O seu 'até amanhã, meu amor',
Ou mesmo, 'um ótimo fim-de-semana',
Para ficar olhando às estrelas,
Contando nossos átomos separados,
Voltando para a nossa realidade,
Esperando outro momento
Para essa gloriosa explosão.