Permaneço entre aquilo que me excita e aquilo que me da prazer... Desconheço o que me completa

sábado, 15 de setembro de 2012

Intensa espera

Estou sozinho...
 Nessa noite fria
 Infinita espera
 E eu aqui...sedente, inquieto
 Esse silêncio absurdo
 Fecho os olhos, visualizo você
 Posso ouvir teus passos
 Sentir teus sussurros, te sentir
 As horas não passam
 Uma vontade alucinada
 Que alimenta meu ser
 Estou ofegante, suspenso
 Esse desejo doido, um querer
 Um corpo quente, ardente
 Estou assim...poeta insano
 Totalmente fora de mim
 E nesse descompasso
 A urgência de ti é presente
 Minha alma reclama tua falta
 Meu olhar me denuncia
 Meu corpo te quer
 Nessa minha loucura
 Não suporto essa espera
 Vem logo me amar
 Dissipa essa ansiedade
 Mata essa fome que sinto
 Aniquila essa saudade
 Viaja em meu corpo
 Deixa tua vontade assumir
 Escorrer em minha pele
 Preenche minha noite
 Com essa paixão que
 Avassala meu Ser
 Ah!! Essa insensata espera...

Nenhum comentário:

Postar um comentário